Educação financeira já é matéria de currículo em escolas paulistanas

Tempos difíceis para a economia nacional. Um contingente imenso de desempregados e um mercado fechado, hiper criterioso para as poucas vagas abertas.
Educação financeira já é matéria de currículo em escolas paulistanas

01

NOV


Como fazer para mudar essa realidade?

Preparar as novas gerações para lidar com o dinheiro pode ser uma excelente saída, prospectando o futuro. 

Aos cinco anos de idade, uma criança pode – facilmente – achar que para comprarem o que ela deseja, os pais retirem os recursos de uma caixinha mágica.

O vestibulando que já aprendeu (ou já deveria ter aprendido) que dinheiro “não cai do céu” também pode ficar muito confuso quando, enfim, entrar no mercado de trabalho e começar a receber proventos por sua atuação. 

Por isso é fundamental começar a educação financeira o quanto antes.

E algumas escolas de São Paulo já entenderam isso.

Algumas delas já incluíram o projeto de administração de finanças pessoais em seus currículos.

A proposta é bem clara: colocar na mente das crianças desde cedo – e na prática – o conceito de dinheiro. E, claro, como lidar com ele.

 Interessante, não?

Fundamental também!

Com a consciência exata do valor que o dinheiro tem e de como pode ser complexo (ou desgastante) ganhá-lo, as crianças passam a ter outra relação – mais real – com a moeda.

Isso faz com que, no futuro, sejam adultos mais cuidadosos com os gastos, evitando, por exemplo, um problema muito real em nossa economia atual, enfraquecida pela crise: a inadimplência. 


[Fonte: Exame.com]