Advocacia e o futuro: é para ter medo da tecnologia?

Ei, você, que é da área do Direito...O que vem à sua cabeça quando escuta termos como Inteligência Artificial, Advocacia 4.0 e Blockchain?
Advocacia e o futuro: é para ter medo da tecnologia?

18

JUL


Ufsss!!

Será que vem à sua mente aquela certa perguntinha...Será que os robôs vão roubar os empregos dos juristas?

Vamos te oferecer mais uma: será que a Justiça do futuro vai ser inteiramente virtual?

A “angústia” que, por ventura, possa estar te acometendo tem razão de ser. Afinal, com o avanço tecnológico, processos e peticionamentos tornaram-se eletrônicos, intimações passaram a ser enviadas por Whatsapp e surgiram vários softwares e aplicativos acenando com novas possibilidades para o futuro da profissão.

Fato é que – assim como para todos os demais setores do mercado – no caso da Advocacia, os profissionais precisam se preparar, adequadamente, para trabalharem em parceria com os recursos tecnológicos.

Boas dicas para seguir e práticas para você adotar em seu cotidiano podem ser traduzidas, por exemplo, pelo investimento em mobilidade na rotina.

Hein?

Sim! Em qual momento você imaginou – lá no passado – que estaria, um dia, tranquilamente, em dois lugares ao mesmo tempo? Não, não é realidade paralela (ainda). É a tecnologia móvel viabilizando tal fenômeno.

Quer mais uma sugestão?

Adote conceitos e práticas de outras áreas.

Sim!

Dedique-se a conhecer métodos e conceitos que não nasceram dentro da Advocacia, mas que podem – perfeitamente – ser incorporados na rotina jurídica, sempre com o intuito de impulsionar resultados e facilitar o crescimento do negócio. Exemplos? Gestão horizontal e marketing pessoal!

Outras dicas que podemos te dar dizem respeito a integrar a democratização do conhecimento (todos nós podemos ser professores e aprendizes, certo?) e, nessa esteira, fomentar – entre os pares – a cultura do compartilhamento (repartir instrução faz com que advogados possam contribuir não só para o futuro da profissão, como também para a educação do mercado, a formação de profissionais mais qualificados e, evidentemente, para a aquisição de novos clientes).

E então?

Preparado (a) aí para os desafios que estão por vir?


[Fonte: www.aurum.com.br]