Professora brasileira revoluciona a escola pública com lições de sustentabilidade e entra para o ranking dos 10 melhores docentes do mundo

É bem comum vermos exemplos bem tristes de como o processo de ensino-aprendizagem “vai mal” em nosso país, não é mesmo?
Professora brasileira revoluciona a escola pública com lições de sustentabilidade e entra para o ranking dos 10 melhores docentes do mundo

01

ABR


Pois é, mas a Educação acaba de marcar um “super ponto” do Brasil, viu? Vem ver...

Na esteira da atividade que desempenhava na infância (quando pediu que a mãe comprasse lousa e giz para que ela pudesse dar aula a coleguinhas com dificuldades), Débora Garofalo cresceu e tornou-se professora.

Hoje, aos 39 anos, a brasileira que se dedicou – por vontade própria – a lecionar em escolas públicas, ostenta um título e tanto: está entre os 10 melhores professores do mundo.

Uau!

Verdade?

Sim! Verdade verdadeira, como se diz por aí.

E como ela conseguiu este feito? Como conseguiu entrar na mira daqueles que, diariamente, pensam e repensam a Educação em torno do planeta?

É que em seu dia a dia – como docente de tecnologias da escola EMEF Almirante Ary Parreiras, na capital paulista – a professora Débora se dedica a lançar mão de outrosinstrumentos (além da lousa) para ensinar.

Por meio dela e de seus alunos (com idades entre 6 e 14 anos), o lixo jogado nas ruas das comunidades carentes de São Paulo, por exemplo, vem sendo transformado nas mais diferentes soluções para problemas da comunidade na qual a comunidade está inserida.

Exemplos?

Garrafas pet, vidro e restos de fiação podem virar filtro de água, semáforo, máquina de sorvete, e – veja só esta! – até tecnologia de energia renovável que substitui o conhecido (e perigosíssimo) “gato elétrico”, muito comum nos locais em questão.

Garofalo conta que o projeto “Robótica com Sucata” – referência no Brasil, que ganhou a atenção do mundo – nasceu da coleta de lixo das ruas das comunidades que ficam no entorno da escola. Assim surgiu o primeiro carrinho movido a balão de ar. “Esse carrinho virou febre e, no dia seguinte, tinha criança do lado de fora me esperando com materiais recicláveis querendo fazer igual", diz ela, toda animada.

Os resultados – muito positivos – puderam ser observados, também, sob outro aspecto: em quatro anos, mais de 700 kg de lixo foram retirados das ruas pelos estudantes e, assim, o resultado da EMEF Almirante Ary Parreiras no Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) – que mede a qualidade do ensino – subiu de 4.2 para 5.2.

Eis a revolução da escola pública!

Ponto para a professora Débora! Ponto para a Educação brasileira!


[Fonte: G1 // Educação]