Saiba como a alimentação adequada pode – efetivamente – ajudar no controle da ansiedade

Ano caminhando para o encerramento, vai começar o estresse das festas de final de ano. Ufsss!!
Saiba como a alimentação adequada pode – efetivamente – ajudar no controle da ansiedade

24

AGO


Mas, bem antes delas, existe toda uma série de providências que você precisa tomar, em casa, no trabalho...e “pra ontem” de preferência...muito antes de finalizar 2018.

Já fez aquele relatório para o (a) seu (ua) chefe?

Levou as roupas que estão no fundo do armário há meses para a costureira consertar?

E o check-up do ano que você ainda nem passou perto?

Era hoje que estava marcado para entregarem o móvel que você comprou para a sua casa, mas você teve que sair. Na correria matinal, decidiu ligar, em meio às atividades cotidianas, para desmarcar a entrega. Teria dado certo se você não tivesse esquecido o celular em casa e o telefone da loja (assim como o número do pedido) estivesse no aparelho.

AAAAAA!!!

Calma!

As demandas cotidianas podem acabar com os nervos de qualquer um, maasss, vamos segurar essa ansiedade aí!

Você pode aplacar a inquietação com alguns alimentos, sabia?

É verdade!

Claro que você não vai “fazer tchibum” em nenhum deles e, dessa forma, conseguir outros problemas agregados, certo? Maaass, com comedimento, dá, sim, para sossegar um pouco só fazendo uso da alimentação adequada.

Quer ver?

Vamos a algumas recomendações de especialistas...

A primeiríssima é a castanha do pará. Rica em selênio, seu consumo melhora o humor e reduz a inflamação. Ainda conta com propriedades antioxidantes que ajudam a prevenir danos nas células. Outro nutriente encontrado nas castanhas é a vitamina E. De acordo com pesquisas, para algumas pessoas, os baixos níveis de vitamina E podem ser um fator de risco para o desenvolvimento da depressão.

Peixes ricos em gordura (como salmão, cavala, sardinha, truta e arenque) também são excelentes para baixar o nível de ansiedade. É que o ômega-3 (substância que ajuda na função cognitiva) contido neles melhora a saúde mental.

Também tem o ovo!

Fonte de vitamina D, a gema de ovo constitui excelente fonte de proteína, essencial para o crescimento e desenvolvimento. Os ovos ainda contêm triptofano (aminoácido que ajuda a criar a serotonina, um neurotransmissor que ajuda a regular o humor, o sono, a memória e o comportamento). Alguns estudiosos acreditam que a serotonina é capaz de melhorar a função cerebral e aliviar a ansiedade.

Por fim, vem o...chocolate!

Sabe quando você está mega nervoso (a), alguém se aproxima, pede para você respirar fundo, oferece um chocolate e esta mera ação solidária desperta em você a vontade de arremessar o chocolate E a pessoa pela janela mais próxima?

Na boa? Respire fundo mesmo. E aceite o chocolate mesmo. Nem que seja para comer inteiro em apenas duas dentadas furiosas. E esqueça a ideia de jogar o (a) amiguinho(a) longe. Ele (a) só quer te ajudar. E, mesmo que de maneira empírica, sabe o que está fazendo.

O chocolate é fonte de flavonoides, substâncias capazes de reduzir a neuroinflamação, diminuir a morte celular no cérebro e melhorar o fluxo sanguíneo.

Ainda segundo os especialistas no assunto, o chocolate amargo, que – especificamente – é ótima fonte de magnésio pode – sim! – reduzir os sintomas da depressão. Aliás, um estudo de 2014 descobriu que 40 gramas de chocolate amargo são capazes de reduzir o stress em mulheres jovens.

Viu aí?

Estes são apenas alguns dos muitos alimentos que podem – efetivamente – te ajudar a, como diz a gíria, “segurar a sua onda”.

No mais, respire fuuuundoooo....e...caaaaalmaaaa!! Tudo se resolve! 

[Fonte: Veja.com]