O que você poderia dizer sobre a importância da Fisiologia do Exercício na Educação Física?

Vamos falar sobre a Fisiologia do Exercício na sua área, educador (a) físico (a)?
O que você poderia dizer sobre a importância da Fisiologia do Exercício na Educação Física?

08

AGO


Para começo de conversa vamos dizer que não há como você pensar em força muscular se não conhecer – direitinho – as estruturas e/ou não tiver conhecimento de como ocorrem as diferentes adaptações nos músculos.

Antes de você pensar em como vai montar o treinamento ideal para o seu aluno – ou como vai identificar as diferenças entre realizar diferentes tipos de treinamento aeróbio – vai precisar entender, a fundo, é fato, como o corpo funciona. 

Você bem sabe que não é possível periodizar um treinamento de corrida (tendo um objetivo concreto) se você não se aprofundar nas rotas metabólicas.

Vale ressaltar aqui outro ponto bem importante: o corpo humano está em constante busca por um equilíbrio, pela homeostase de seus sistemas.

A partir disso, você pode começar a pensar nos princípios da Fisiologia do Exercício, como o da individualidade, da especificidade e o do desuso.

Para falarmos da individualidade vamos relembrar que cada um de nós tem um jeito e uma velocidade de adaptação aos estímulos de treinamento. Trata-se de fatores hereditários que determinam nossa resposta aos exercícios e, por conta disso, duas pessoas – exceto gêmeos idênticos – nunca irão ter as mesmas adaptações. Então fica claro que todo e qualquer programa de treinamento precisa levar em consideração, apenas e tão somente, as características da pessoa a quem é destinado.

O princípio da especificidade nos traz que as adaptações ao treinamento são extremamente ligadas ao volume, à intensidade e ao tipo de exercício realizado. Disso concluímos, por exemplo, que não se pode esperar ganhos de resistência treinando potência.

Então vem o princípio do desuso. Você já deve usado a expressão “use-o ou perca-o” para falar de ganho em programa de treinamento, certo? Pois bem, quando o aluno para de treinar espera-se que seu condicionamento físico retorne ao nível necessário apenas para as tarefas de uso diário. Qualquer ganho em um programa de treinamento será perdido se não for feita uma manutenção adequada.

Já demos uma introdução para te estimular e agora vamos deixar o desafio: como você seguiria abordando o assunto “Fisiologia do Exercício na Educação Física”?


[Fonte:  https://blogeducacaofisica.com.br]